(31) 3972-9452

Software jurídico: ferramentas genéricas ou dedicadas?

Para otimizar a execução das tarefas, os escritórios de advocacia têm recorrido aos softwares de gestão. Desenvolvidas com o objetivo de controlar prazos e atividades, essas ferramentas tecnológicas podem ser divididas em dois grupos: genéricas ou dedicadas.

Você sabe a diferença entre elas? Esse é o tema do artigo de hoje, aqui no blog do iProcessum. Continue a leitura para descobrir as funcionalidades de cada uma delas e qual a melhor para você e seu escritório.

Ferramentas genéricas

São inúmeras as ferramentas genéricas para controlar prazos, organizar as tarefas e compartilhar os arquivos entre os membros de um escritório de advocacia. Esses softwares são gratuitos e super fáceis de usar. Ou seja: para quem está começando pode ser um ponto de partida viável.

A desvantagem, entretanto, é que eles não foram desenvolvidos exclusivamente para o meio jurídico. Ou seja: não contam com ferramentas pensadas nas particularidades da rotina do advogado.

É preciso ressaltar também que, diferente do software jurídico, esses programas não contam com funções integradas. Sendo assim, para alcançar os resultados esperados é preciso combinar o uso de várias dessas ferramentas.

Para acompanhar os prazos e não perder compromissos importantes, por exemplo, o Google Agendas é o mais indicado. Quando o assunto é armazenar e compartilhar arquivos, existem o Dropbox e o Google Drive. No caso do Google Drive, você também pode criar planilhas e textos. O Trello e o Asana são opções para organizar a divisão de atividades, e a Conta Azul facilita a gestão financeira.

Como dissemos, entretanto, esses programas são ferramentas genéricas que não levam em consideração as especificidades do dia a dia do escritório de advocacia. É, por isso, que existem os softwares jurídicos.

Ferramentas dedicadas, ou software jurídico

Ferramentas dedicadas, como o software jurídico, foram criadas especialmente para atender as necessidades do advogado e seu escritório. Elas permitem organizar processos, atendimentos, agendas, contatos em um único só lugar. E mais: todas as informações ficam armazenadas na nuvem. Ou seja, podem ser acessadas de qualquer dispositivo em qualquer lugar e hora do dia.

Muito mais do que gerenciar tempo e tarefas, os softwares jurídicos ainda contam com funções específicas para o escritório de advocacia. Com metodologia simples e intuitiva, programas como o iProcessum contam com um informador jurídico.

No nosso caso, o software verifica, diariamente, mais de 200 diários oficiais eletrônicos de justiça, importando automaticamente as publicações com o seu nome de usuário. Ele extrai e exibe prazos, partes, tipos de ações e ainda sugere o título para cada processo. Você terá apenas que conferir e organizar todas as tarefas a serem cumpridas. E o melhor de tudo: o programa não exige a contratação de qualquer fornecedor para alimentar o sistema. Você não precisa, assim, trocar seu informador processual.

O software jurídico também pode colaborar com um atendimento de qualidade ao cliente. Não será mais necessário ligar ou enviar mensagens a cada novidade sobre o processo judicial. O iProcessum, por exemplo, envia notificações por e-mail de qualquer cliente cadastrado no sistema sempre que uma nova publicação referente ao mesmo for importada. Esta ferramenta pode ser ativada ou desativada a qualquer momento.

Conclusão

O software jurídico garante mais produtividade e economia de tempo aos escritórios de advocacia. O custo pode ser um problema para quem está começando, é verdade. Entretanto, esses programas representam, hoje, um diferencial competitivo em um mercado concorrido como o do Direito. Vale lembrar também que a maioria dos serviços contam com pacotes. Escolha aquele que mais se adequa às suas necessidades e de seu escritório.

Posts Relacionados

Deixe um comentário

Bitnami